Início » Artigos » Alimentos Funcionais » 17 Dicas de alimentação saudável para crianças

17 Dicas de alimentação saudável para crianças

Compartilhe!
  • 5
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

Mais de metade da população brasileira está acima do peso. Em vários países, a obesidade já é tratada como uma questão de saúde pública, e a preocupação inclui as crianças. Elas precisam de energia para se desenvolver, mas é preciso escolher os alimentos certos.

alimentacao-para-crianca

Por isso, ao pensar no que oferecer ao seu filho, tenha em mente o seguinte:

  1. Capriche na variedade – a alimentação infantil dever trazer todos os grupos alimentares, divididos ao longo do dia. Para facilitar a aceitação, invista no colorido dos ingredientes e apresente os alimentos separadamente;
  2. Formar imagens divertidas pode ajudar a garantir melhor adesão à alimentação saudável. Use a criatividade!
  3. É importante que o prato tenha cinco cores diferentes para conter a variação ideal de nutrientes, além de quatro categorias de alimentos. São elas: cereal (arroz, trigo, cevada, aveia); vegetais (hortaliças e verduras); leguminosos (feijão, grão-de-bico, lentilha) e proteína (frango, carne, peixe, ovo);
  4. Crianças precisam de produtos lácteos ou leite pelo menos três vezes ao dia;
  5. Incentive a ingestão de água – os pequenos costumam ter aversão ao consumo do líquido;
  6. Incentive também o consumo de frutas de todos os tipos, na forma de sucos, vitaminas ou in natura. Ao natural, elas são perfeitas para criar bichinhos que atraem a atenção da criançada, facilitando a dieta saudável;
  7. Montar apresentações diferentes ajuda a diminuir a resistência aos produtos saudáveis. Uma tarefa nada fácil diante dos apelos coloridos das guloseimas calóricas. Mas você consegue!
  8. Aproveite que os pequenos são mais abertos a acordo que os adolescentes e explique como eles podem ficar mais fortes comendo os “verdinhos” ou “coloridinhos”;
  9. Outra dica é combinar com a criança que ela irá provar um alimento novo por semana, por exemplo. Não precisa ser todos os dias;
  10. Convide seu filho para acompanhar você nas compras, manusear os vegetais, ajudando a escolhê-los. Depois de envolvê-lo no mundo dos alimentos, cative-o também no preparo deles;
  11. Bateu a birra na hora de comer? Espere até a refeição seguinte para oferecer algo diferente do que tem à mesa;
  12. Às vezes, a criança não aceita certo alimento porque sabe que os pais oferecerão outro em seguida – por medo de que ela fique com fome ou por ansiedade mesmo;
  13. Ponha limite: reserve um dia por semana para os doces ou alimentos gordurosos;
  14. Abra o leque de opções: a criança não precisa aceitar a comida de apenas um jeito. Não gosta de cenoura cozida? Camufle o legume em um delicioso bolo de cenoura;
  15. Comer o legume cozido, em vez de cru, também não é problema. Apesar da perda nutricional pequena, ainda assim vale a pena;
  16. Nada de radicalismo ao retirar alimentos do cardápio. Use a cabeça para criar uma estratégia: que tal substituir o nugget por peito de frango uma vez e, depois, em duas refeições, até parar de comprar o produto? Faça uma mudança gradual;
  17. Não ofereça porções grandes demais, para evitar desânimo e frustração.

alimentar-filho-forma-saudavel

Como alimentar seu filho de forma saudável

A amamentação tem sua simbologia: a do cuidado, do afeto. Porém, quando a criança passa para a fase do garfo e colher, muitas mamães tendem a demonstrar o amor na forma de gostosuras pouco nutritivas, desde que o filhote aceite e, de preferência, abra aquele sorrisão em vez de um tremendo berreiro.

Mas alimentação consciente é uma questão de educação – e se aprende em casa, logo cedo. Outra coisa: se aprende, acima de tudo, com exemplos dos próprios pais. De que adianta fazer do fast food um hábito e ao chegar em casa oferecer frutas e legumes ao filho. A família é o maior exemplo.

É no ato de alimentar também que as crianças recebem os primeiros “nãos”. E, da mesma forma, que ela não pode crescer sem escovar os dentes, por exemplo, não pode deixar de comer uma fruta.

Lembre-se, ainda, que comida não é moeda de troca que se negocia por um passeio, brinquedo ou festa. E não deve ser ingerida enquanto a criança acessa o tablet, o videogame, o celular etc. Eles distraem o cérebro, prejudicando o registro do que está sendo consumido.

O resultado: com a absorção prejudicada, o funcionamento do Sistema Nervoso Central sofre, e a criança pode comer demais ou menos do que realmente precisa.

Agora é com você! Que tal imprimir e colar as dicas de hoje na porta da geladeira ou outro local de fácil acesso para reforçar as informações e mudar de vez a alimentação do seu filho?

Boa sorte, e até breve!


Compartilhe!
  • 5
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares

Ela conseguiu perder 32kg!

Esposa Emagrece 32 kilos e Surpreende Marido que Estava Há 2 Anos no Haiti
Clique aqui!
Leia essa emocionante história!
Click Me